IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO PARA PROJETOS DE INSTALAÇÕES DE ESPORTES, EDUCAÇÃO FÍSICA, ATIVIDADES FÍSICAS DE LAZER E SAÚDE


Provavelmente, já teve o leitor a oportunidade de visitar uma instalação com tal quantidade de problemas de projeto e inadequações que só lhe resta sacudir a cabeça e murmurar: “Não acredito”!

Cada instalação apresenta seus próprios desafios. Se tais desafios não forem identificados e superados, o resultado será uma instalação com sérios problemas operacionais. Normalmente, quanto maior a construção, maior a probabilidade de ocorrer erros no planejamento e no projeto. Freqüentemente os detalhes são vistos de forma superficial e por vezes são cometidos grandes equívocos na fase de planejamento, os quais só vêm a ser percebidos após a inauguração e no decorrer do uso da instalação.

Muitos de nós temos visto prédios com deficiências em iluminação, ventilação e controles de acesso que poderiam ter sido evitados com planejamento apropriado. Em particular, um dos maiores erros cometidos ocorre na previsão de espaços para armazenagem, notadamente nas instalações destinadas a educação física, esportes e recreação. Para este fim, muitas vezes são utilizados corredores, salas de aula e até mesmo espaços destinados a atividades esportivas ou de lazer para guarda temporária ou permanente de equipamentos. E o que dizer de piscinas com medidas “ligeiramente” inferiores às estabelecidas pelas regras oficiais; banheiros e vestiários distantes cujo acesso obriga a passagem através de áreas de atividades; ou ainda ginásios com janelas envidraçadas por trás das tabelas de basquete?

Esses erros são reais e não tão raros como se possa imaginar: São constrangedores, caros e absurdos como, por exemplo, a construção de uma plataforma de 7,5m de altura para saltos ornamentais construída logo abaixo de outra de 10 m (será que ninguém percebeu, ao menos durante a construção?). Outro exemplo de equívoco no planejamento é o do Estádio Olímpico de Montreal, construído para as competições de atletismo dos Jogos Olímpicos de 1976 e que ainda está para ser completado satisfatoriamente. Com custo previsto em 60 milhões de dólares canadenses, superou a cifra astronômica de $1 bilhão. Além do mais, grande parte dos assentos não têm visão direta da linha de chegada!

A causa desses equívocos não é outra senão dedicação insuficiente de tempo, esforço e conhecimento especializado durante o processo de planejamento. Quanto mais cedo se deteta o erro, menos cara se torna sua retificação. Não custa nada corrigir erros no papel, muito pouco em mudanças em plantas ou desenhos digitalizados e é extremamente dispendioso ou quase impossível fazer correções após o concreto ter sido lançado.

O impacto de uma construção mal planejada é muito mais grave do que qualquer outro problema de gerenciamento. Uma administração inadequada ou pessoas podem ser substituídas. Recursos adicionais podem ser levantados para programas eventualmente sub-financiados. Contudo, as conseqüências de planejamento inadequado irão perdurar por décadas, razão pela qual todo o esforço e atenção devem ser despendidos desde o início e durante todo o processo de planejamento.